fonte: google - autor desconhecido

6 Razões para não pedalar na contramão

Quando eu comecei a pedalar, láááá na infância, tinha a convicção de que pedalar na contramão era mais seguro, pois estava vendo tudo o que vinha em minha direção. E até hoje, muita gente pensa assim.

Mas não é!! Além de ser proibido pelo código de trânsito:

“Art.: 58
– nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos das pistas de rolamento, NO MESMO SENTIDO da circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.

Parágrafo único. A autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via poderá autorizar a circulação de bicicletas no sentido contrário ao fluxo dos veículos automotores, desde que dotado o trecho com ciclofaixa.”

Maaaas, mesmo quando digo isso pra quem defende circular na contramão, me retrucam:

– Mas eu acho muito melhor porque estou vendo e me sinto seguro com isso!!

E esse pensamento está errado, vou citar alguns motivos além da lei, pra convencer você a NÃO circular na contramão:

1 – Os motoristas não irão lhe ver quando estiverem entrando em uma via pelo lado contrário, pois estarão cuidando dos veículos que estão no sentido do trânsito, contrário ao seu;

2 – Os motoristas não irão lhe ver quando abrirem a porta do carro, pois estão cuidando se vêm outro carro olhando no retrovisor;

3 – Os pedestres não irão lhe ver ao atravessarem a rua, pois naturalmente olham para o lado de onde vêm os carros para então atravessarem;

4 – Fica mais difícil desviar de um carro que eventualmente possa vir em sua direção, e o motorista também terá dificuldades para frear e desviar, pois as velocidades estão somadas… Se você estiver no mesmo sentido, o motorista terá mais tempo de frenagem antes de o carro lhe atingir, diminuindo a velocidade e os danos em caso de choque;

5 – A bicicleta é um veículo, portanto deve seguir as leis do Código Brasileiro de Trânsito. Respeitando, você terá muito mais chances de ser respeitado.

6 – E andando no mesmo sentido do trânsito, você naturalmente se sentirá parte dele e verá que fica muito mais simples e seguro!

Abaixo, assista ao vídeo que faz parte de uma campanha do DETRAN do Paraná por um trânsito mais seguro.

😉

Ciclovia da Av. Paulista em São Paulo

Semana passada a ciclovia da Av. Paulista, em São Paulo, foi inaugurada. Entre discursos de amor e ódio, entendemos que quem ganha é a população da cidade.
A gente sabe que existem milhões de pessoas no mundo, cada uma com seu modo de pensar e enxergar as coisas, com diferentes preferencias políticas, e  modo de defender seus interesses. Mas não temos como não entristecer diante de tantas manifestações contra as ciclovias de São Paulo, gente mais preocupada com seu próprio umbigo, ou simplesmente por briga partidária, que acaba ficando cega para as necessidades da população como um todo. É claro que é muito confortável assistir a vida passar de dentro do seu carro, com ar condicionado e sua playlist preferida tocando no iPod, mas nem sempre é o melhor em termos de qualidade de vida (estamos falando de mobilidade, de se deslocar rapidamente e ter certeza do tempo que vai levar do ponto A ao B). Acontece que isso não é mais possível, continuar fomentando uma prática individualista e insustentável vai nos levar ao completo caos.
Em entrevista ao G1, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad disse: “É uma vitória do ativismo a favor da sustentabilidade. Isso não é questão partidária. É um erro tratar isso do ponto de vista partidário. Nós estamos cometendo um grave erro. Todo mundo tem que apoiar certos projetos: metrô, faixa de ônibus, ciclovia. Isso tem que ser suprapartidário. Estão cometendo um erro fomentando a intolerância. Isso não leva a sociedade a lugar nenhum. Existe o espaço da disputa e existe o espaço do consenso. A gente tem que reaprender a lidar com os consensos para não colocar a perder o bem estar social”.
Florianópolis, e as demais cidades do país, precisam urgente de pessoas com esse tipo de visão no poder. Floripa tem tudo para ser uma cidade ciclística, paisagens belíssimas, muitos trajetos em terrenos planos, morros com inclinações “pedaláveis”, clima propício e uma população fisicamente ativa, que gosta de esportes e é atenta a saúde.
Incentivar o uso da bicicleta na sua totalidade (isso inclui transporte), implantando ciclovias bem feitas, só traz ganhos para a cidade:

– Preserva a integridade do ciclista;
– Melhora a saúde pública de forma geral, menos gasto com remédios;
– Menos poluição;
– Diminui o número de carros nas ruas, diminuindo assim o número de acidentes;
– Estimula o comércio, pois as pessoas não precisam de vagas de estacionamento para frequentar o local;
– É bom para o turismo;
– Diminui o estresse da população; e por aí vai…

Ciclovias são importantes para as cidades sim, e não se trata de ser contra os veículos particulares, e sim uma busca pelo equilíbrio entre pedestre, o ciclista, usuário do transporte público, e transporte motorizado individual. Se mais gente se sentir confiante de usar a bicicleta pra se deslocar, menos carros estarão disputando espaço nas ruas, e quem realmente precisa da rua livre e rapidez pros deslocamentos de carro e ônibus, vai ter!
Floripa também quer e precisa de ciclovias. Sonho seria as autoridades daqui se espelharem nesta iniciativa e perceberem a importância de proteger a vida do ciclista e estimular o uso da bicicleta como aliada no planejamento do crescimento das cidades.

Enquanto isso, numa das míseras ciclofaixas de Floripa, nossos motoristas:

:(

Autor do vídeo: Ari Laercio Boehme
E você, qual sua opinião? Quais os ganhos que a população teria se tívessemos mais ciclovias em Florianópolis?

Bicicletas em Madri

Antes de começar a contar sobre a nossa aventura no Caminho de Santiago de Compostela, queria contar um pouco do que vi em Madri, onde passamos um dia inteiro antes de ir para Roncesvalles, onde começamos o caminho.
Um dia é  muito pouco para conhecer essa cidade enorme e cheia de atrações turísticas e culturais, mas demos uma boa volta no centro e seus arredores e eu vou contar um  pouquinho do que eu vi.
Como não podia deixar de ser, fiquei muito atenta às ruas, e pra falar a verdade fiquei eufórica ao ver tanta gente com bicicletas em Madri, utilizando-a como meio de transporte mesmo. Tanto que mal conseguia fotografar… rsrsrs

Bicicletas em Madri

Vi muitas mulheres, indo e vindo no meio do trânsito de Madrid que é  bem frenético, e apesar de ter observado por pouco tempo, não vi nada de stress ou situações que colocassem em risco os ciclistas, todos se entendiam muito bem.

Bicicletas em Madri

Bicicletas em Madri

Bicicletas em Madri

Lá existe um sistema de aluguel de bicicletas, como o que estão tentando implantar em Floripa sabe? #Sóquenão… Lá são todas elétricas! 😀

Bicicletas em Madri

Bicicletas em Madri

Nessa última foto dá pra ver que as bikes têm cada uma um indicador da bateria: vermelha ou verde.
E o melhor de tudo: o respeito dos carros com pedestres e ciclistas, mesmo fora das ciclovias. É lindo de ver!! Nós não pedalamos em Madrid, mas enquanto pedestre era só se aproximar do meio-fio para atravessar a rua que o carro já parava antes de você descer o pé da calçada… Dava até uma emoção!! hahaha… “Ele parou pra mim? Mesmo?”
E com os ciclistas era nítido o respeito do espaço mínimo de 1,5m de distância, tudo muito natural. Como deveria ser em qualquer lugar né?

Bicicletas em Madri

Bicicletas em Madri

E ainda muito charme por todo o lado.. Encantadora Madrid! <3

Quero voltar pra te conhecer melhor viu?!

 

 

Ciclofaixa não é estacionamento.

Ciclofaixa é para bicicletas!

Florianópolis atualmente não tem uma boa estrutura cicloviária, o que no nosso ponto de vista só faz a cidade perder. Floripa tem tudo para ser perfeita para o ciclismo: pouco relevo, rotas sempre lindas e habitantes que gostam de praticar atividades físicas, que se tivessem à disposição mais ciclovias ou ciclofaixas usariam a bicicleta e deixariam o carro em casa em muitas de suas atividades diárias.

O que me faz escrever hoje é sobre o uso das ciclovias e ciclofaixas já existentes. Utilizo bastante as ciclofaixas do centro: Almirante Lamego, Bocaiuva, Trompowsky ,Duarte Schutel. Observo que essas ciclofaixas são bastante utilizadas por ciclistas, mas muitas vezes é perigoso pedalar por ali, sim: PERIGOSO.

Por quê?

 

estacionaram na ciclo faxia

Muitos motoristas insistem em estacionar carros em cima da ciclofaixa, enquanto “vão ali rapidinho” ou “estão trabalhando”descarregando seus caminhões, ou seja lá qual for a desculpa esfarrapada que usam pra justificar a infração. Além disso, há quem trafegue sobre as ciclofaixas! Motociclistas são campeões nisso e outro dia quase fui atropelada por um deles.

estacionaram na ciclofaixa

Foto: Ari Laercio Boehme

O fato é que enquanto alguém estaciona ali “rapidinho”, quem deveria estar trafegando na ciclofaixa em segurança precisa entrar na pista de rolamento, na frente dos carros, e arriscar-se para seguir em frente. O que pode ser fatal. Imagine, alguém dentro do carro pode abrir a porta e derrubar o ciclista, que pode vir a ser atropelado por outro carro que esteja trafegando pela pista.
Sei que com o aumento da frota de veículos nas ruas, estacionar tornou-se cada vez mais complicado (e esse é um dos motivos pelo qual eu uso a bicicleta). Porém,  o problema de achar um lugar regulamentado para estacionar é do dono do veículo, não do ciclista ou do pedestre. E nada justifica estacionar onde é proibido, seja ciclofaixa, calçada, entrada de garagem ou qualquer outro local onde a sinalização é de “proibido estacionar”. Qual o problema em respeitar a sinalização? As regras valem para todos! E não interessa o tempo que você precisa, o “é rapidinho” não serve como justificativa. Falta de educação talvez sirva, mas isto não podemos aceitar.

As mudanças começam por nós mesmos e vão se espalhando ao nosso redor. Pequenas atitudes fazem grande diferença. De nada adianta condenar um político corrupto, por exemplo, se nem ao menos se consegue respeitar uma placa de trânsito só porque não há ninguém por perto fiscalizando.

Que tal então, da próxima vez que encontrar um carro estacionado na ciclofaixa você possa conversar com o motorista (com educação e a maior paciência do mundo) e explicar para ele o risco que você corre, enquanto ciclista, quando ele age dessa forma?
Não custa tentar né? 😉

5 Sinais de intenções para ciclistas

Você sabia que é necessário indicar aos motoristas suas intenções enquanto estiver pedalando nas ruas junto aos carros? Pois bem, assim como nem todos os ciclistas sabem da existência e da necessidade de usar esses sinais, os motoristas também não. Então confira, aprenda e compartilhe com os ciclistas e motoristas que você conhece os 5 sinais de intenções para ciclistas:

1. Dobrar à esquerda: antes da conversão estique seu braço esquerdo, com a palma da mão virada para frente, para indicar que logo a frente você irá virar à esquerda.

2. Dobrar à direita: da mesma maneira como foi citado acima, estique seu braço direito, com a palma virada para a frente para indicar que você vai converter à direita.

3. Atenção, parando!: com antecedência, apenas levante seu braço esquerdo com a palma da mão também virada para a frente.

4. Atenção! Obstáculos/problemas a frente: na existência de algum buraco ou obstáculo a sua frente, estique o braço esquerdo para baixo, ao lado do corpo mas ligeiramente afastado dele, com a palma da mão virada para trás abrindo e fechando.

5. Seguindo em frente no cruzamento: sempre que  você for seguir em frente em um cruzamento, você deve erguer seu braço esquerdo na altura dos ombros, dobrado a 90° , a palma da mão para dentro, movimentando-o pra frente indicando o sentido que você vai.

10933159_737529596315829_1829550494_n

 

 

Por mais que a maioria dos motoristas não saibam o que significa cada sinal desses, use! Pois mesmo não entendendo, devido aos movimentos, eles ficarão atentos a você e esperar sua próxima ação antes de seguir e ultrapassar você.