A charmosa caixa de madeira para bicicletas

Quem usa a bicicleta no seu dia a dia, como meio de trasporte para  cumprir suas tarefas, está sempre buscando alternativas para deixar sua bike mais funcional. Transportar coisas na bicicleta acaba sendo uma das questões que impossibilitam as pessoas de usá-la com mais frequência.
Ir ao mercado, por exemplo, torna-se uma tarefa trabalhosa para quem não tem acessórios eficazes para trazer as compras de um jeito seguro. Alguns usam mochilas, ou alforjes, mas reclamam que pela forma como as coisas são organizadas dentro das bolsas, acabam sofrendo avarias, frutas e verduras são as que mais sofrem… Uma boa solução para isto é o uso de caixa de madeira para bicicletas que podem ser acopladas na magrela. Porém, não é qualquer caixa que se consegue fixar com facilidade ao guidão, e nem é qualquer caixa que além de funcional ainda deixa sua bike mais estilosa.
Há alguns dias conhecemos a Traditional Bike Box, caixas que são feitas em MDF junto com técnicas de envelhecimento. As caixas são tanto para a dianteira quanto para a traseira. São leves, estáveis e fáceis de serem ajustadas. Vêm com um kit que inclui o suporte para a caixa ser fixada na bike.
tradicional bike box, caixa de madeira para bike
O produto foi desenvolvido por Luciano e Verônica, um casal que veio do Rio Grande do Sul para Balneário Camboriú, SC, há quase um ano, e aqui encontraram condições para fazer da bicicleta seu meio de transporte, como tanto sonhavam na antiga cidade.
O Luciano é psicólogo e Verônica jornalista, depois de algumas viagens que fizeram para fora do Brasil (Europa, EUA, África do Sul), viram que era muito comum ter uma “caixa” de madeira junto a bike para transportar o que quiser, muitas pessoas usavam caixas de vinho para isso, então as ideias começaram a surgir e eles foram dando uma identidade para a caixa até chegar na Traditional Bike Box.

tradicional bike box, caixa de madeira para bike

“Queríamos uma caixa com um aspecto vintage e com um ar de elegância, do mesmo modo uma caixa básica e clássica. Pensamos diversos tamanhos, formatos, cores, nomes e logomarcas até chegar ao produto final. Nisso foram vários meses de ideias e testes. Fazemos um trocadilho com o senso comum da palavra Traditional (Tradicional), onde buscamos demonstrar que o Traditional depende do universo particular de cada um.
Hoje temos a marca Traditional Bike Box, a caixa para bicicleteiros. Produzidas artesanalmente, uma a uma, com carinho para o bicicleteiro.”

tradicional bike box, caixa de madeira para bike

As medidas são 29x20xh19cm para as caixas dianteiras e 29,5x21xh20cm para as caixas traseiras. E você encontra essas belezinhas aqui na nossa loja vitual.
Para quem quiser acompanhar as novidades, é só acompanhar a Traditional Bike Box no Facebook: clique AQUI

tradicional bike box, caixa de madeira para bike
Sempre existem opções para quem quer mudar de hábitos e melhorar sua qualidade de vida… fazer compras de bike não é  um problema, as alternativas são inúmeras e para todos os gostos, é só querer. 😉

 

 

seal

 

 

 

Bela na Bike do mês de maio

São muitas belas na bike Brasil a fora, e hoje quem compartilha sua história com a gente é a Viviane Mendonça de Curitiba…  ela é um arraso! Um exemplo para todas nós.
Quem a vê circulando em sua bicicleta pelas ruas de Curitiba conclui que ela poderia perfeitamente ser uma francesa de Paris ou uma italiana de Milão. O cabelo curtinho e o estilo moderno elegante de Viviane Mendonça, 37 anos, combinam com roteiros de filmes europeus e cenários de cinema. Mas, esta professora de Geografia da rede estadual de ensino nasceu em Lunardelli, no Paraná. De lá, trouxe a simplicidade deliciosa daqueles que sabem o que vale a pena na vida e uma  certa timidez misturada com recato, bem característica de quem viveu e cresceu no interior.
Viajada, conhece vários continentes e, em boa parte destas viagens, a bike foi o propósito da empreitada ou o meio de locomoção para cumprir o itinerário. Há mais de 10 anos, a magrela faz parte da rotina  de Viviane. Pedalando ela parou de fumar, emagreceu 20 quilos e transformou seu estilo de vida.
A maior mudança, segundo ela, foi no humor.  Porém, os amigos mais próximos sabem que foi muito além disso. Viviane incluiu programas mais agradáveis, uma alimentação mais saudável e viagens inspiradoras na rotina do marido, dos amigos e dos familiares. Atualmente, ela assina a página Vou de bike e salto alto, no Facebook, e tem um perfil no Instagram, onde registra uma infinidade de belezas e detalhes do mundo dos ciclistas.

Foto: Eliandro Oliveira

Foto: Eliandro Oliveira

  1. Qual o espaço que a bicicleta ocupa no seu estilo de vida?
    A bicicleta está presente em todas as áreas da minha vida. Faço trilha todos os finais de semana e participo de algumas competições locais. Sou praticante de cicloturismo há mais de 10 anos, tendo feito alguns roteiros espetaculares como Chapada Diamantina, Chapada dos Veadeiros, Caminho de Santiago de Compostela, trilha do Telégrafo (considerada a pior trilha do Brasil), Serra Gaúcha e tantos outros pelo Brasil a fora. E, por fim, a bike transformou-se no meu meio de transporte. Vou ao trabalho, supermercado, aula de inglês, academia e outros afazeres diários com a minha magrela.
  1. Conte de forma breve, como a bicicleta conquistou espaço na sua rotina?A minha relação com a bicicleta começou aos 15 anos, quando questionada sobre querer debutar, respondi que não e que queria apenas uma bicicleta com cestinha.  Já adulta, quase 20 anos depois, comecei a pedalar aos domingos com grupos de amigos. Fazíamos trechos curtos pela região metropolitana de Curitiba com aproximadamente 30 km. Mais tarde, essas trilhas se tornaram mais longas com 50 ou até 80 km, quando passei a conhecer meu corpo e meus limites. Descobri uma força em mim que não consigo explicar muito bem  até hoje. Mais confiante, passei a fazer cicloturismo e ‘carregar’ a bike para todos os lugares possíveis de se pedalar. Lama e cansaço já não me derrubavam mais. Então, há 3 anos atrás , decidi levar essa minha experiência para o dia-a-dia da minha rotina. Comecei pedalando para o Trabalho e depois fui adaptando outros afazeres diários. Percebi, que nada á impossível até você tentar. O que mais  me intrigava era o fato  de ter que pedalar todos os dias  com aquelas roupas de ciclistas, e claro, a logística seria péssima. Tira roupa, leva roupa na mochila, troca de roupa no trabalho. Não, assim eu não queria, foi aí então, que decidi ir pedalando do mesmo jeito que eu trabalho, ou seja, de bike e salto alto. E não é que funcionou (rsrs). Tive o privilégio de conhecer vários países e entender como lá homens e mulheres pedalam com roupas casuais, pensei: porque não? E, a partir disso, tomei a iniciativa. Primeiro fiz o trecho num domingo de manhã de casa até o meu trabalho acompanhada do meu marido que sempre foi meu maior incentivador apoiando minhas maluquices de bike,  aliás, sem ele eu nunca teria tido coragem de fazer tudo o que faço, somos grandes companheiros unidos pela bicicleta.  Na semana seguinte iniciei o que seria a minha liberdade e independência de ir e vir Já que não dirijo e não tenho carro, minha rotina de locomoção pela cidade se resume em bike, ônibus a pé ou de táxi, exatamente nesta ordem. Escrever este texto para vocês me faz refletir o quanto nós ciclistas mulheres somos diferentes das demais mulheres que não pedalam, e, ao mesmo tempo tão idênticas na coragem, superação e fortes nas nossas batalhas diárias.
  1. Quais foram os benefícios que o uso frequente da bicicleta trouxe para você?Certamente meu humor e meu peso. Já cheguei a pesar 20 quilos a mais que hoje, de 75 kg para 55 kg . Mas isso é passado. Primeiro, a bike mudou meu corpo, depois, mudou a minha cabeça, e, hoje ela mudou a minha vida. Me tornei uma mulher mais bem humorada, já chego pilhada para trabalhar já que tenho que ficar muito atenta nas ruas “né”. Passei a entender melhor o trânsito e por isso respeitá-lo, aprendi que tenho regras rígidas a serem seguidas e que “bancar a espertinha” no trânsito pode tirar a minha vida ou a de outra pessoa. Quando estou na rua meu raciocício é: não faça nada que possa provocar a ira de um motorista ou um pedestre e mantendo-me  sempre correta nas minhas atitudes.
  1. Você costuma se preocupar com seu visual na hora de pedalar?Sim, muito! Você não precisa andar ‘fedidinha’ e muito menos sem maquiagem só porque vai de bike. Visto-me exatamente como se fosse de carro ou de táxi, não deixo de usar nada que goste só porque vou de bicicleta. A partir do momento que entendi que isso era perfeitamente possível, ganhei as ruas imediatamente. Inclusive, acessórios dos mais diversos são muito bem vindos para nós mulheres e ciclistas, deixa você e o trânsito mais leves. Uma das maiores vantagens foi poder ir para muitos lugares de salto alto o que provavelmente não conseguiria andando a pé, principalmente por calcadas irregulares, sonho realizado de ficar de salto o dia todo indo e vindo pelas ruas.
  1. Quais suas maiores dificuldades na hora de se vestir para ir de bicicleta nas atividades de rotina?Felizmente, hoje não tenho dificuldades. Simplificar é a regra da bike. Menos é mais né. Aprendi e adaptei meu dia-a-dia para bicicleta, carregar menos coisas, ir ao supermercado, sim é possível, no inicio assim como toda mudança, quase desisti, mas hoje posso jurar que é possível e fácil.
  1. Quais as maiores dificuldades que você encontra no seu dia-a-dia de ciclista?Muitas. Como em todas as cidades do Brasil. A começar pelo trânsito, que sem dúvida é o problema dos ciclistas de todo Brasil e estabelecimentos sem estacionamentos para bike. Muitas vezes deixo de comer em alguns lugares ou comprar algo porque não há bicicletários .  Também existem os assaltos, já fui roubada uma vez, levaram minha bike e não foi nada agradável. Estes tem sido os grandes desafios por aqui meninas.
  2. Você teria algum truque/dica para ensinar a mulheres que estão começando a pedalar agora?Coragem e muita vontade de ser livre. A sensação do vento na “cara” não tem explicação. As principais dicas que acho super válidas são:. O tipo de bicicleta é importante, se você vai para o trabalho, procure uma bike mais urbana e confortável, com os seguintes acessórios: Cesta que é ideal para carregar alguns itens que nós mulheres sempre temos à mão.   Corrente protegida para não ficar toda marcada de graxa. Lenço no pescoço é essencial pois além de chique ainda protege o nosso lindo pescoço. Ter uma capa de chuva  na sua bike também é importante, principalmente em dias de chuva. Procure não utilizar mochilas, elas fazem com que você sue muito. Para utilizar salto alto no pedal é simples, você só precisa utilizar a parte da frente  do sapato, cuidados com saltos muito finos e muito altos pois podem enroscar no pedal, é muito simples pedalar de salto alto. As dicas que estou dando é para você deixar o medo e experimentar, se joga mesmo, depois você me conta lá no Vou de bike e salto alto. Já para as bicicletas de mountain  bike, elas devem ser mais leves e adequadas ao seu tamanho. Ou seja, para cada estilo de pedalada um tipo de bicicleta.
  1. Que mudanças você gostaria de ver na sua cidade para que a rotina dos ciclistas se tornasse mais tranquila e segura?Respeito mútuo entre as pessoas que ocupam as ruas. Não importa qual o seu meio de transporte, sua origem, de onde vem e para onde vai. Nós precisamos entender que existe espaço para todos e que as ruas não são propriedades particulares, todos temos direitos de ocupar todos os espaços.
Foto: Eliandro Oliveira

Foto: Eliandro Oliveira

Obrigada Viviane por compartilhar conosco sua história, você é um grade exemplo para todas nós!
E para quem quiser acompanhar a Viviane, esta é a página dela no Facebook: Vou de bike e Salto Alto, tem muita coisa bacana por lá, vale a curtida. 😉

 

*Revisão do texto: Isabela França

 

 

 

 

A Bela na Bike de Fevereiro

Hoje vamos trazer mais uma Bela na Bike pra mostrar pra vocês como é possível usar a bicicleta no dia-a-dia sem deixar o estilo de lado.

A nossa Bela na Bike de fevereiro é a Viviane Lenzi da Rocha, nos conhecemos nos pedais em grupos, um encanto de pessoa e super poderosa no pedal!

O esposo dela, o Julio Fernandes é organizador do Pedal de Quinta, que todas as quintas-feiras leva uma galera para pedalar por muitos locais maravilhosos da nossa Floripa e a Viviane o acompanha logicamente, além de usar a bicicleta pra ir ao trabalho e como ela mesma menciona pra quase tudo na vida.

Qual sua idade e profissão?

42 anos – Administradora

Qual o espaço que a bicicleta ocupa no seu estilo de vida? 

Todos os espaços… Hoje é meu meio de transporte, lazer e esporte.

Conte de forma breve, como a bicicleta conquistou espaço na sua rotina?

Tudo começou com a chegada de um novo amor… O Julio (hoje meu marido) me convenceu a comprar uma bicicleta para pedalarmos juntos, ele foi atleta durante anos e já pedalava muito. Eu era bem reticente, não tinha certeza de que ia gostar. Mas a medida que comecei a pedalar a paixão tomou conta e aos poucos fui trocando os passeios de carro por longas pedaladas nos fins de semana e logo troquei o stress de dirigir em Floripa pelo prazer em me deslocar ao trabalho.

Quais foram os benefícios que o uso frequente da bicicleta trouxe para você?

Sou uma pessoa que tem uma baita TPM e a atividade física sempre ajudou no equilibrio. Como sou um pouco gulosa, o uso da bicicleta me ajuda à  manter o peso e a forma.

Você costuma se preocupar com seu visual na hora de pedalar?

Não sou uma pessoa muito preocupada com o visual, tenho uma maior preocupação com o conforto, mas claro que como sou mulher, sempre tem uma vaidade rolando. Mas no trabalho tem dias que necessito de estar mais arrumada.

Quais suas maiores dificuldades na hora de se vestir para ir de bicicleta nas atividades de rotina?

Como sou uma pessoa mais “estabanada” não faço uso de vestido na bike, mas fora isso não tenho grandes dificuldades.

Quais as maiores dificuldades que você encontra no seu dia-a-dia de ciclista?

Acho que a principal dificuldade é a falta de respeito ao ciclista. Quando as pessoas entendem que o ciclista faz parte do trânsito tudo flui tranquilamente, mesmo sem ciclovias.

Você teria algum truque/dica para ensinar a mulheres que estão começando a pedalar agora?

Acho que uma boa dica é buscar pessoas que já pedalam pra ter uma companhia inicial, sejam nos grupos de pedal, no trabalho ou pedir ajuda de um  bike anjo. Também é interessante saber qual a altura do banco (selim) deve ser adequada para cada sapato. Muitas vezes a gente adequa a altura e depois usa um sapato com plataforma ou uma rasteirinha e acaba ficando com a perna muito dobrada ou muito esticada.

Que mudanças você gostaria de ver na sua cidade para que a rotina dos ciclistas se tornasse mais tranquila e segura?

Criação de mais ciclovias e educação dos motorista no trânsito para que todos convivam em harmonia.

IMG_9565 (1)

 

E aí gente, a Viviane é ou não uma inspiração?

Viviane, muuuito obrigada por contar um pouquinho da sua história! 😉

Maquiagem para carnaval!

Ah la la ôôôôôô ôôôôô… Carnaval está aí meninas! E pra quem curte uma folia, gosta de aproveitar o carnaval para extravasar e fazer o que você normalmente não faz, trouxemos hoje um tutorial de maquiagem para carnaval com muitoooooooooooo brilho para você se inspirar.

Novamente a rainha dos pincéis de maquiagem Juliana Goes dá dicas para você (e eu, claro!) arrasar na maquiagem de carnaval.

Maquiagem com glitter não é muito fácil de fazer, né? O glitter se espalha e no fim estamos com brilho espalhado no rosto inteiro! Mas a Juliana dá duas boas dicas durante o vídeo para evitar este desastre brilhoso…

Não é necessário ter os mesmos produtos que ela usa no tutorial, dá para adaptar com o que você tem em casa, dá até para trocar as cores se você não é fã de rosa. O legal é prestar atenção na técnica que ela usa para dar o efeito desejado.

A gente sabe que nem todo mundo tem habilidade para se auto maquiar e que é preciso treino e paciência para tentar mais uma vez se a primeira não der certo. E para quem quer desenvolver essa habilidade ou aperfeiçoar as técnicas que já tem, a Juliana Goes tem um curso online bem completinho e bem didático que você pode fazer sem sair de casa e na hora que bem entender. Pareceu interessante? Entre no site dela para saber mais sobre o curso e assista uma aula grátis!

Bom carnaval pessoal!!!

 

 

seal

O que você precisa saber sobre estilo

Neste blog nós nos propusemos a compartilhar sobre o mundo da bicicleta para mulheres, e dentro deste imenso universo, além da bicicleta propriamente dita, entram assuntos relacionados a beleza, moda, saúde, estilo, entre outros.

Hoje vamos falar de estilo, mas antes de falar de estilo pessoal, vamos fazer um pequeno adendo sobre o estilo de vida de quem usa bicicleta.

O que vemos hoje em dia é um preconceito enorme com quem usa a bicicleta como transporte. Na sociedade do hiperconsumo, onde você tem que estar sempre comprando o que há de mais atual, onde você tem que ter o carro do ano e as roupas da marca mais badalada do momento, quem anda de bicicleta é pobre ou não tem nada pra fazer da vida… se esta de bicicleta está a passeio.
É difícil para as pessoas enxergarem que usar a bicicleta é um estilo de vida e quem faz essa opção está mais preocupado com o tempo que ela ganha ao ficar fora dos congestionamentos diários e com os benefícios para a saúde e para a vida dela  do que em ostentar uma imagem para as outras pessoas.

Dito isso podemos falar sobre estilo pessoal. Mas o que é estilo?

Sabemos que estilo é algo particular e que cada um tem o seu. Dentro do circuito das bicicletas podemos encontrar os mais variados, e você não precisa seguir o estilo fitness “só uso lycra” por usar a bicicleta.

Estilo pessoal é a soma das preferencias, do estilo de vida e da personalidade de cada uma. E para ter estilo é preciso se conhecer e aprender quem você é, quem quer ser nesse mundo. Ter estilo não vem da vontade de ser outra pessoa, ou ser mais alta, mais magra ou mais bonita… Vem da habilidade de ter confiança e projeta-lá para que as pessoas enxerguem que você se respeita, se ama e se veste para si mesma e para mais ninguém. Confiança é algo cativante, revela poder e não se perde com o tempo – e isso é infinitamente mais interessante que beleza.

Acreditar na própria beleza e ser auto-confiante são atitudes essenciais para se construir o próprio estilo. Abraçar suas “imperfeições”  pode ser sua arma na hora de definir seu caráter e espírito.  Ao brincar com os pontos fracos e acentuar as falhas, a mulher torna-se especial, atraente e ainda mais invejável. Confiança não tem nada a ver com estética e tudo a ver com atitude.

O estilo não é algo imutável, fixo e definitivo, ele vai mudando conforme vamos amadurecendo e conforme nosso estilo de vida. Nós sabemos o quanto é dificil você escolher que roupa vestir todos os dias, e que fica ainda mais dificil quando você escolhe ir de bike e quer ser você, transmitindo a imagem que traduz sua essência.

Para ajudar um pouquinho e ispirar vocês, a partir da semana que vem, traremos uma pequena entrevista com mulheres que usam a bike no seu dia a dia, será uma entrevista por mês com uma Bela na Bike e cada uma a seu estilo, mulheres de verdade mostrando que é possível usar mais sua bike e manter seu estilo.

Estilo Olivia palermo

Pinterest

“Nada torna uma mulher mais bonita do que a própria crença de ser bonita.”  Sofia Loren

 

 

Look do dia para ir de bike

Oi gente!!

Os últimos dias em Floripa têm sido de muito calor e eu vim aqui mostrar um look do dia com uma peça que amo usar. Nesses dias vou direto escolhendo ele: o macaquinho!

O macaquinho é o queridinho desse verão, e pra gente que usa a bike no dia-a-dia é super prático e feminino. Aqui estou usando um modelo regata, o mais fresquinho possível.

Quando eu chego no escritório, depois de ambientada no ar condicionado sobreponho um blazer que traz uma elegância imediata à pessoa… 😉

IMG_4907

E você, curte macaquinhos? O que vc costuma usar quando sai de bike nesse calorzão? Conta pra gente!

😀

 

 

 

Cabelos e bicicletas: dicas para deixar os fios domados

Você esta planejando ir para o trabalho de bike mas está preocupada com o cabelo?
Nós vamos ajudar você a chegar com o cabelo apresentável ao seu destino, dando dicas para deixar os fios domados, ok?

Independente se você for usar capacete ou não, é importante prender o cabelo, ou pelo menos parte dele. Você vai ter que prestar atenção em várias coisas ao seu entorno e não vai querer correr o risco de passar sobre um buraco e furar um pneu, por exemplo, enquanto estava tirando a franja do rosto, certo?

Agora… vai usar capacete? Ok, vamos lá:
É fato, o capacete vai amassar seu cabelo e tirar todo o volume dele. O que você pode fazer para diminuir um pouco o efeito liso colado na cabeça é prender a franja com um grampinho para o lado inverso ao que você costuma usar, isso vai levantar a raiz e na hora que você jogar o cabelo de volta vai fazer aquela ondinha que adoramos! E para quem gosta do volume no cabelo todo, fazer um coque baixo ou dois próximo do pescoço, torcendo o cabelo, vai mantê-lo protegido do vento e dar um efeito ondulado na hora de soltar. A aplicação de shampoo a seco na raiz dos fios também ajuda a manter o volume do cabelo e controlar a oleosidade do couro cabeludo.

coques

Os rabos de cavalo também são ótimos aliados na hora de pedalar. Se você for usar capacete o melhor é que eles também sejam presos próximos ao pescoço, para o amarrador não fazer pressão e machucar sua cabeça. O bom do rabo de cavalo é que você consegue refazê-lo sem maiores dramas quando chegar ao seu destino, ou então dá pra fugir do convencional e mandar um rabo de cavalo mais elaborado como esses abaixo:

rabo de cavalo

Trança é a melhor opção quando você tem pouco tempo e quer chegar com o cabelo pronto ao trabalho. Com ou sem capacete e dependendo do seu corte de cabelo, claro, a trança  mantem os fio no lugar por mais tempo.

Se você for habilidosa, existe uma infinidade de modelos de trançado para explorar!

Sem Título-2

No papo sobre Cycle Chic que fomos na semana passada, foi falado sobre os lenços e como eles podem ser versáteis. Eles podem ser usados por baixo do capacete para manter o cabelo cheiroso. Ele pode proteger seu cabelo do vento evitando o frizz. Ele pode também absorver o suor eventualmente. E o mais legal é que ainda dá para incrementar seu estilo fazendo amarrações diferentes e utilizando ele como turbante, não é demais?

lenços

 

Gostaram meninas? Conseguimos ajudar um pouquinho? 😉

 

Papo sobre Cycle Chic

Olá pessoal! Na semana passada nós falamos aqui sobre o bate papo sobre Cycle Chic que aconteceria lá na Bicicletaria Garupa, lembram? Aliás, quem ainda não conhece a Garupa, vale a pena fazer uma visita, uma bicicletaria super descolada e diferente de qualquer outra que já se viu em Floripa.

Saímos do centro acompanhadas da Brigitte e da Henriqueta (as bicicletas) e percorremos aproximadamente 7 km até o local. Fomos vestidas de acordo com nosso estilo, como costumamos nos vestir no dia-a-dia, eu de macaquinho de viscose e a Michelle de shortinho, camiseta e blazer.

papo cycle

Na saída… E no percurso!

Chegando lá o bicicletário já estava quase lotado, mas ainda havia um paraciclo livre onde pudemos amarrar nossas magrelas. 😀

10351400_869287043102297_5045794366416004399_n

Eu e a Brigitte (a bike), no bicicletário clicadas por Fabricio Souza.

Muita gente foi prestigiar, tanto mulheres quanto homens, e nós fizemos alguns registros do evento pra mostrar como foi.

IMG_4958

Naiara mostrando uma capa de chuva, super linda…

IMG_4961

IMG_4963

IMG_4968

O papo rolou solto, super descontraído graças à leveza com que a Naiara compartilhou suas histórias.

Com muito bom humor, Naiara abordou vários temas dos quais nós já falamos aqui no blog também, mostrou dicas super importantes sobre vestuário, maquiagem, o que fazer com o cabelo, como usar saias e vestidos mesmo indo de bike, como se proteger do sol, da chuva… Fez tudo parecer tão simples e óbvio!

Teve pipoca para a galera e quem quis acompanhou com uma cerveja, que aliás sempre tem disponível para comprar no Garupa e estava geladíssima!

Nós adoramos o evento. Foi muito legal conhecer algumas leitoras do blog, assim como conversar com pessoas que já usam a bicicleta no dia a dia e outras que querem começar. Sentir que o papo deu ânimo para mais gente colocar suas bikes na rua e começar a praticar o Cycle Chic por aí foi o ponto alto do evento. Precisamos de cada vez mais eventos como esse pela cidade.

Agradecemos aqui o convite, e a receptividade de todos. 😉

Beijinhos, Aline.

Uma vontade e pneu furado…

Neste fim de semana que passou estive no Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves na Serra Gaúcha, a terra dos vinhos. Que lugar encantador…
Infinitos tons de verdes compõem a paisagem, intermináveis parreiras de uvas se estendem por todo o vale, a cada curva um convite para conhecer uma vinícola, cada uma com sua peculiar produção de vinhos, sucos e geléias… Sem falar na comida: massas caseiras, galeto, carnes, queijos, polentas… hummmm. É um lugar onde se come e bebe muito bem!

Bom, a razão da minha viagem foi aproveitar um compromisso de trabalho que meu namorado tinha na região para conhecer o lugar e ainda comemorar nosso aniversário de namoro. E foi perfeito!

DSC04072

DSC04003

Ficamos hospedados em uma pousada familiar no Vale dos Vinhedos, super aconchegante e com atendimento nota dez! A pousada chama Ca’di Valle e a própria família toma conta de tudo. Fomos muito bem recebidos pela dona da pousada, a Sra Vilma, que nos esperava com sucos e vinhos produzidos ali mesmo na propriedade… que felicidade!

Depois de conhecer a pousada, visitar o parreiral de uvas e o local onde é feito o vinho da familía, o Thiago foi cuidar dos compromissos de trabalho dele e fui procurar o que fazer nesse tempo. Com o dia lindo que estava e aquela paisagem incrível ao redor, na hora pensei: “vou perguntar para a dona Vilma se eles não tem um bicicleta pra me emprestar, rs”. E não é que ela tinha!? Iupiiiiii… o/
Os pneus estavam vazios, então lá foi o esposo da dona Vilma, o seu Jandir, encher os pneus para mim… rs.

E lá fui eu explorar a redondeza, advertida pela família que andar pelo asfalto seria perigoso por não ter acostamento e os carros andarem em uma velocidade muita alta por ali. Ok, me conformei com a ideia de que não poderia ir muito longe. Coloquei uma blusa de viscose manga longa, pois apesar do sol tinha um arzinho frio pela manhã, e um short de alfaiataria com sapatilha para o meu passeio.

DSC04016

DSC04013

Só que a minha alegria não durou muito, logo que cheguei na saída da pousada vi que o pneu de trás estava vazio novamente, estava furado…  🙁

Mas tudo bem, consegui fazer umas fotinhos e registrar a beleza do lugar.

Conversando com a familia depois, fiquei sabendo que já existe um projeto reivindicando ciclovias no Vale do Vinhedos… Boa notícia! A gente só espera que não demore décadas, por a região é linda e é um roteiro e tanto para o pessoal que curte cicloviagem.

😉

 

Look do dia para ir de bike

Oi gente!

Eventualmente vou mostrar aqui os looks que uso para ir de bike ao trabalho, e a outros lugares que me permitem desfrutar da companhia da Brigitte durante o trajeto.

Vamos ver um deles hoje:

 IMG_4556

Gosto muito de usar camisas, e em dias de temperatura amena ela cai como uma luva. A escolhida deste dia foi uma camisa fina estampada, compondo o look com calça de viscose e cinto de fivela dourada pra incrementar. Nos pés, a sapatilha amiga pra qualquer hora.

IMG_4541

Pra mim funciona super bem, fico arrumada enquanto estou no trabalho e na bike fico super segura pra pedalar e chegar sem me amassar!

😉