Bicicletas, moda e um caso de amor…

Como esse é um espaço para compartilhar histórias e dicas sobre o mundo das bicicletas, nada mais justo que começar contando a minha história, o meu caso de amor com as bicicletas.

Sempre curti bicicleta, aprendi a pedalar em uma que herdei do meu irmão mais velho e que nem freio tinha! Depois dessa tive mais uma que também foi herança do mano, ele cresceu, ganhou outra e eu fiquei com a velha… Até que lá pelos 12 anos ganhei uma novinha, Caloi Ceci branca e com cestinha! Quanto amor! Não largava mais, durante a noite ela ficava guardada no meu quarto… <3

Mas depois veio a adolescência, outros interesses e acabei esquecendo das bikes.

Entrei pra faculdade, me tornei adulta e nunca mais dei uma pedaladinha sequer. Trabalhei dos 20 aos 32 anos numa empresa de telecomunicações, fui gerente de loja em shopping por muito tempo e sempre curti (e ainda curto!) andar bem arrumada, de carro, viajando, badalando… peruando por aí, digamos assim. Morava a 5km do shopping e ia trabalhar de carro todo santo dia.

Depois que deixei de trabalhar nessa grande empresa, resolvi empreender e trabalhar com o que mais gostava e desde criança me relacionava, moda. Nessa mesma época eu já praticava corrida como esporte, e meu marido me reapresentou a bicicleta, seu mais novo interesse esportivo. Começamos então a usar a bicicleta como esporte, mas eu ainda não curtia tanto pedalar como era com a corrida. Eu não conseguia acompanhar o ritmo dele, ficava sempre para trás e acabava não sendo prazeroso, era até um pouco martirizante pra mim. Como forma de incentivo, ele me deu uma bike de presente, uma bike pra eu chamar de minha e para finalmente tomar gosto pelo esporte e o acompanhar mais…  E fomos então atrás de grupos de ciclistas para acompanhar, aprender a pedalar corretamente, a dar manutenção na bicicleta, etc.

Conhecemos novos amigos, gente que pedala só por esporte e gente que usa a bicicleta pra tudo. Tudo mesmo!  Fomos experimentando usar as bicicletas no dia-a-dia, e deixando que elas invadissem cada vez mais nossa rotina.

Mas como fazer para ir de bicicleta ao centro da cidade, por exemplo, sem parecer um ser de outro planeta? E foi pesquisando que conheci o estilo Cycle Chic, vi que era possível andar de bicicleta usando roupas casuais, ir ao trabalho, ao supermercado, ao centro da cidade, tudo isso usando roupas mais formais, sem deixar a feminilidade de lado e sem morar na Europa! Assim, fui me encantando e praticando cada dia mais o uso da bicicleta como meio de transporte. Hoje uso muito mais a bicicleta do que o carro e cada dia ouso um pouco mais, até já consigo pedalar usando sapatos de salto alto!

Bom gente, aos poucos vamos compartilhando sobre a vida de ciclista, que tem sim suas dificuldades já que a cultura do brasileiro é totalmente voltada para a supervalorização do automóvel, mas as vantagens que se tem ao se tornar adepto da bicicleta são incontáveis! Queremos mostrar que é possível sim usar a bicicleta no seu dia a dia sem perder a feminilidade. Mulher pode pedalar e manter seu estilo, sim!

Beijos, Aline…