Como carregar sua bike escada acima com facilidade

Para quem mora em apartamento que não tem elevador, ou que não pode subir com sua magrela dentro dele, sair e  chegar em casa pode se transformar em uma tarefa chata. Carregar sua bike escada acima, dependendo da situação,  pode ser até arriscado, no caso de ter outras coisas junto com você como sacola e mochilas, você pode cair e se machucar. Pensando nisso, em facilitar a vida dessas pessoas, um escritório de design de Óregon, o Walnut, desenvolveu um acessório muito útil feito em couro, chamado Little Lifter.

alça de couro para carregar bicicleta

São alças de couro ajustáveis que você prende no quadro da sua bike que permitem que você suba e desça escadas com mais segurança e conforto. A posição da alça coloca seu punho abaixo do centro de gravidade do seu corpo, fazendo com que você recrute músculos que normalmente usa para levantar coisas, levantando assim, a bike com mais facilidade, segundo o produtor.

alça para carregar bicicleta

Essa belezura ainda não é vendida aqui no Brasil (pelo menos não achamos ainda), apenas em sites gringos.
O Little Lifter  é uma solução criativa e simples para quem não abre mão de usar sua bike como transporte, ainda que tenha que subir alguns lances de escada carregando sua estimada, sem falar que o acessório é bacanudo demais e ainda agrega estilo a sua bike. Não é?

 

 

Alforjes em couro para bicicletas

E no embalo do nosso picnic de domingo, dia 22, lembrei do post que fizemos recentemente sobre picnic (leia aqui), quando ainda nem estávamos planejando fazer o nosso próprio picnic. Nesse post mostramos um vídeo da Laura Pereira, designer de Florianópolis que desenvolve artigos de viagem, que incluem alforjes  em couro para bicicletas belíssimos!

alforjes de couro para bicicleta

Alforjes em couro natural tamanho PP

Os alforjes, que também são usados como bolsas pois possuem alças grandes, são feitos de forma artesanal no atelier da própria Laura. Além de tamanhos variados (podendo carregar até laptop dentro) as alças que fecham o alforje, permitem a fixação dele na bicicleta, tanto na garupa como no guidão.

alforjes para bicicleta grande

Alforjes em couro para laptop

Para quem pedala no dia a dia esse tipo de  acessório é de grande valia. Ter onde carregar suas coisas sem precisar prendê-las ao corpo em uma mochila, ajuda muito nos dias de calor, sua roupa não amassa e você sua menos. Outro fato que se deve dar atenção é como você vai carregar esta bolsa quando chegar ao seu destino, pode ser que você precise subir uma escada com a bicicleta por exemplo, portanto, alforjes com alças facilitam muito a vida.

Alforjes em couro para bicicleta

Alforjes em couro tamanho P

Os alforjes estão disponíveis em três tamanhos e você os encontra na loja virtual da Ciclomovimento, neste link, ou no banner ao lado.

E para quem ainda não viu o vídeo… <3

Se empolgou com o vídeo? Topa fazer um picnic conosco?
Então nos vemos domingo, dia 22 de março, às 16h, no Trapiche da Beira Mar norte saindo em direção ao Parque de Coqueiros para um delicioso picnic…
Venha participar, vai ser lindo! 😉

 

 

Bela na Bike de Março

Um dos posts que mais gostamos de fazer para o blog é o Bela na Bike do mês, é sempre tão inspirador e dos deixa imensamente felizes. Ver essa mulherada linda e independente, donas dos seus narizes e destinos, com suas bikes nas ruas enche a gente de alegria E a gente quer sempre mais.
E hoje é dia da Luciana Vieira, nos conhecemos num evento na bicicletaria Garupa e a partir daí sempre nos encontramos em pedaladas pela cidade. A Lu é super querida, animada e pedala muito!! Conheçam um pouco da história dela e como ela é exemplo pra todas nós:

Qual sua idade e profissão? 

Estou com 40 anos e tenho formação em Jornalismo, mas não exerço a profissão. Trabalho como assistente administrativa.

Qual o espaço que a bicicleta ocupa no seu estilo de vida? (Esporte, lazer, transporte)

Uso a bicicleta para tudo. Como meio de transporte para ir ao trabalho, ao supermercado, visitar amigos, etc. Como lazer para relaxar e contemplar o que está ao meu redor. Como esporte para ter uma vida mais saudável e melhorar o meu condicionamento físico.  Quando estou pedalando para ir até a empresa onde trabalho, não a considero apenas como meio de transporte, mas também como meus momentos de lazer e esporte.  A minha disposição e humor no trabalho é bem melhor do que quando utilizo o ônibus. Deixo de pedalar quando chove forte, mas quando cessa a chuva e eu estou no ônibus… Ah, como eu queria estar pedalando! E fico procurando e olhando outros ciclistas da janela do ônibus.

Conte de forma breve, como a bicicleta conquistou espaço na sua rotina?

Sempre gostei de pedalar, desde a infância, mas era como lazer e esporte. A diferença no dia de hoje é a bicicleta ser também meu meio de locomoção. Teve um bom tempo que deixei de pedalar em função dos compromissos.  No entanto, dirigir carro era um ato estressante. Não que eu não goste de dirigir, mas ficava irritada quando ficava presa no trânsito e via as barbeiragens dos outros motoristas. Sem falar, nos quase acidentes que me deixavam assustada e, ao mesmo tempo, fula de raiva. Observando ciclistas da janela do carro, eu desejava muito usar a bicicleta no dia a dia. Mas… Tinha medo de pedalar com tantos veículos ao meu lado que podiam me derrubar. Voltei a pedalar nos finais de semana e já vinha trabalhando em minha mente para um dia usar a bicicleta durante a semana. Como tenho deficiência auditiva, testei a minha audição com os aparelhos auditivos nas ruas. Li muitos textos na internet sobre pessoas que usam a bicicleta como meio de transporte e dicas de segurança para pedalar. Procurei me informar também das regras existentes de trânsito. O dia que usei a bicicleta para ir ao trabalho foi inesquecível e emocionante. Fiquei tão feliz por ter criado coragem! Então, hoje, a cada dia pedalo mais.

Quais foram os benefícios que o uso frequente da bicicleta trouxe para você?

O principal benefício é ficar longe do estresse. Eu me sinto muito disposta no trabalho, as ideias estão mais claras e ordenadas na minha mente, o meu corpo fica relaxado e leve. Até quando estou triste, pedalar tem me ajudado a aliviar o meu sofrimento. O que tem acontecido bastante nas ruas é ganhar sorriso ou cumprimento das pessoas. E também aproxima pessoas. Se não fosse a bicicleta, talvez jamais conheceria a Aline e a Michelle, as escritoras deste blog.

Você costuma se preocupar com seu visual na hora de pedalar?

Sim! Preciso de roupas confortáveis para pedalar e de peças que chamem a atenção dos motoristas. Não uso, por exemplo, blusas escuras durante à noite, pois os motoristas podem não me ver pedalando na rua. As cores precisam ser vibrantes como amarela, vermelha, laranja, azul e verde. Enfim, procuro usar as roupas que permitem que eu seja vista e, consequentemente, tenha segurança no trânsito.

Quais suas maiores dificuldades na hora de se vestir para ir de bicicleta nas atividades de rotina?

Para eu ir ao trabalho, não tenho dificuldade. Sou uma privilegiada, pois a Eletrosul, a empresa onde trabalho, dispõe de bicicletário e vestiário com chuveiro. Então, uso peças mais esportivas e elas são lindas. Levo no bagageiro as roupas que vou usar no trabalho e, de qualquer forma, são peças que servem para pedalar. Já peguei a bicicleta usando a roupa do trabalho para ir a um médico ou ver um amigo durante o intervalo de almoço. A foto que está neste post foi tirada no dia que saí para comprar um acarajé na feira da UFSC durante o intervalo do almoço.

Quais as maiores dificuldades que você encontra no seu dia-a-dia de ciclista?

Falta de respeito. Quando retorno para casa, tem uma rua com ciclofaixa. Quase sempre tem veículo estacionado na ciclofaixa!  Motoristas que não respeitam a distância de 1,5 metro em relação ao ciclista e passam em alta velocidade ao meu lado são atitudes que põem em risco a minha vida, sem falar nos sustos. Como costumo passar pela UFSC, tem sido comum cruzar com motociclistas nas calçadas e no túnel (que é só para pedestres e ciclistas), apesar da placa de proibição para circulação de motos. Outra dificuldade é a falta de segurança. Este ano houve muito assalto/roubo de bicicletas em Florianópolis. Em algumas ocasiões, deixei de pedalar por causa disso.

Você teria algum truque/dica para ensinar a mulheres que estão começando a pedalar agora?

Comecem a pedalar nos finais de semana, quando há menos trânsito nas ruas. Procurem ler tudo relacionado à bicicleta como segurança, leis de trânsito e dicas de outros ciclistas. Conversem com as pessoas que pedalam e, se possível, convidem um amigo para ir junto. Depois de sentirem seguras ao pedalar nos finais de semana, peguem um dia da semana para fazer isso. E vão aumentando devagar. Por exemplo, pedalar uma vez por semana. Na outra semana, duas vezes e, assim, sucessivamente. Até chegar o momento que vocês vão chorar de alegria por pedalar todos os dias!

Que mudanças você gostaria de ver na sua cidade para que a rotina dos ciclistas se tornasse mais tranquila e segura?

Mais ciclovias e ciclofaixas. Que os órgãos públicos, espaços urbanos e estabelecimentos comerciais de grande circulação de pessoas tenham bicicletário. Que haja educação desde o ensino fundamental sobre as regras de trânsito. Se houvesse respeito e, consequentemente, as ruas fossem compartilhadas tanto pelos motoristas quanto pelos ciclistas, possivelmente não precisaríamos ter ciclovias e ciclofaixas. E também que haja mais policiamento nas ruas para dar mais segurança, não só aos ciclistas, mas a todas as pessoas que circulam nas ruas.

FullSizeRender (1)

Meninas, gostaríamos muito da participação de vocês aqui também… Entrem em contato conosco pelo email contatobelanabike@gmail.com e conte sua história pra gente, tem um monte de gente por aí esperando para ser impactado (de forma positiva, claro) por ela. 😉

Picnic de bicicleta

Pinterest

Pinterest

Em Floripa não é muito comum ver pessoas fazendo picnic pela cidade (mas isso já vem mudando, amém!). Na Europa, essa já é uma prática corriqueira. Com verões curtos e ausência de praias, parisienses e londrinos, por exemplo, aproveitam seus momento de folga em seus belíssimos parques em um bom e divertido picnic.
Eu não moro em Paris, mas minha irmã Michelle mora em Londres e faz muito picnic lá nos dias mais quentes. Por aqui, eu e o Ari também adoramos fazer picnic, ainda mais indo de bicicleta!

É normal as pessoas colocarem empecilhos e milhões de obstáculos quando aparece algo diferente. Fazer picnic de carro já não é um hábito comum por aqui, fazer picnic de bicicleta então!? Impossível!

Será mesmo?

Para começar, assista esse vídeo da Laura Pereira Artigos de Viagem:

Viu só? Vai dizer que não dá uma vontade louca de sair para um picnic agora mesmo? Basta se planejar e saber o que levar para não pecar no excesso:

– Dicas do que levar: frutas, pães, queijo de sua preferência, geléias, sucos, café, vinhos ou cerveja… Prefira levar utensílios reutilizáveis (copos de acrílico, talheres, guardanapos de pano) e ao terminar a comilança é colocar tudo de volta no alforje/bolsa e lavar tudo em casa, é mais charmoso e muito mais ecológico né? #menoslixoporfavor. Mas se você não abre mão dos descartáveis, cuide para que tudo seja recolhido e descartado no devido lugar.

pic nic de bicicleta

– Dicas de lugares para picnic em Floripa: Avenida Beiramar Norte, Parque Natural do Morro da Cruz, Parque de Coqueiros, Parque Florestal do Córrego Grande, Via Gastronômica de Sambaqui, Lagoa da Conceição ou ainda qualquer uma das 42 praias dessa ilha maravilhosa…

pic nic de bicicleta

Os produtos que aparecem no vídeo são da Laura Pereira, que é designer aqui de Floripa e se dedica a fazer artigos de viagens. Laura, faz com que todos os produtos sejam pensados especialmente para o trânsito, tornando a arte de viajar mais confortável. Para isso, reúne simplicidade, praticidade e beleza valorizando as pessoas e o ambiente.

No mercado você já encontra uma infinidade de acessórios e alforges para levar suas coisas na bicicleta, basta escolher o que mais se adapta ao seu estilo de vida. Mochilas também servem, mas eu considero um pouco desconfortável se o trajeto da pedalada for mais longo.

O importante é você aproveitar mais  a cidade, ao ar livre, com autonomia e sem frescura!

😉

Belos na Bike – Homens estilosos de bikes

Postamos semanalmente aqui no blog sobre mulheres, moda e bicicletas. Preparamos nosso conteúdo com a intenção de inspirar mais e mais mulheres a usar a bicicleta no seu dia a dia, mas sabemos que nosso público não é exclusivamente feminino. Boa parte das pessoas que nos acompanham são homens, e por isso estamos sempre procurando diversificar os tipos de postagens.

Pois bem, hoje nosso post é dedicado aos Belos na Bike, é basicamente um mural de inspiração com homens estilosos de bike. Mas meninas, fiquem a vontade para admirar as imagens… heheheh.

Encontrado em flickr.com

Pinterest

Encontrado em facebook.com

Pinterest

Encontrado em willandwild.com

Encontrado em willandwild.com

Encontrado em lookastic.com

Encontrado em lookastic.com

Encontrado em mensfashionworld.tumblr.com

Encontrado em mensfashionworld.tumblr.com

Encontrado em itnoft.blogspot.com

Encontrado em itnoft.blogspot.com

Encontrado em theviewfinder.nl

Encontrado em theviewfinder.nl

83b9dc194656d869361979a05b67e52c

Pinterest

Encontrado em lifestyleoftheunemployed.com

Encontrado em lifestyleoftheunemployed.com

Homem não tem muito (ou nenhum) grilo para pedalar com roupas normais né? Nas imagens tem bicicleteiros de todos os estilos… Você se identifica com algum? Você já anda de bike pela sua cidade assim cheio de estilo? Mostra pra nós entao! Envie uma foto sua para gente colocar aqui no blog e mostrar pra todo mundo que não é só europeu que tem estilo para pedalar. 😉

Viajar de bicicleta: 14 dicas para mulheres

Depois que comecei a viajar de bicicleta, muita gente me pergunta: mas como faz com a bagagem? O que você leva? Era também minha dúvida antes da primeira aventura, tive que aprender a lidar com isso e não foi de primeira que acertei. Antes de tudo, tive que me conhecer melhor e identificar o que era realmente necessário pra mim numa viagem.
Eu sempre viajei com a bagagem bem recheada, sempre usei todo o limite de peso das companhias aéreas, e nas viagens de carro então, o porta-malas era o limite! E se eu quiser usar aquela blusa? E se eu quiser sair pra dar uma caminhada? E se, e se, e se… Mas agora não tinha espaço pra essa vontade de querer ter tudo na mão em viagem…
Ok, eu sabia que numa viagem de bicicleta precisaria aprender a ser mais econômica e nas primeiras vezes eu errei, pra mais e pra menos! Fui aprendendo, até que nas últimas viagens tudo o que levei foi usado e não senti falta de nada. Hoje, tal experiência me faz praticar esse minimalismo mesmo em viagens sem bicicleta.

Cicloviagem no Caminho de Santiago de Compostela em 2015.

Cicloviagem no Caminho de Santiago de Compostela em 2015.

Vou contar aqui, algumas dicas do que eu faço para otimizar os espaços, diminuir peso e sem dispensar de algumas frescuras de menina que não consigo desapegar:
1. Unhas — não adianta querer sair pra uma viagem dessas de esmalte vermelho porque não vai durar muito e você terá que levar removedor para esse momento. Por isso prefiro ir com as unhas devidamente feitas apenas com base, curtinhas e levar apenas uma mini-lixa.
2. Cabelos — uma boa hidratação antes de viajar (eu costumo fazer uma cauterização de fios) vai ajudar a domá-los e deixar em casa o secador. Confesso que já fui “a louca da chapinha” e o uso da bicicleta no dia-a-dia me ajudou a aceitar melhor o meu cabelo e deixá-lo mais natural. Foi difícil a adaptação, mas hoje sou outra pessoa, muito mais livre! 😉
Leve grampos, prendedores e lenços, vão ajudar a dar um jeito nas madeixas depois que você tira o capacete, ou quando for jantar à noite em um restaurante por exemplo. Leve uma escova e caso você se hospede em hotel, pode usar o secador que eles fornecem, que normalmente são fraquiiiinhos, mas melhor que nada. Mesmo sendo uma viagem de aventura, você não precisa e não quer estar descabelada o tempo todo!
3. Shampoo e condicionador são mais fáceis de serem carregados em embalagens tipo bisnaga. Existem marcas que já são neste tipo de embalagem, mas confesso que acho grandes e pesadas pra viagens curtas. Então nas viagens que fiz até agora, reutilizei bisnagas pequenas que eu já guardo para este fim, uso embalagens de “amenities” de hotel, lavei bem e coloquei os meus produtos nas bisnagas. Fiz isso também com hidratante pro corpo e economizei um peso considerável.
OBS: isso só atende viagens de curta duração, para viagens com mais de 10 dias essa mini-bisnaga não dá conta, precisa levar quantidade maior mesmo, ou comprar mais durante a viagem.
4. Desodorante roll-on economiza espaço também.
5. Se você usa um sabonete especial para o rosto, leve apenas ele para não precisar levar dois sabonetes ou opte pelo shampoo infantil para os cabelos que tem PH neutro e pode ser usado também como seu sabonete.
6. Maquiagem: sim eu levo, mas bem básica. Um filtro solar com cor, corretivo, rímel, blush e uma sombra neutra. Não, eu não uso isso tudo pra pedalar! Mas nos locais onde nos hospedamos saímos pra jantar, visitar locais e passear. E então gosto de caprichar mais, rsrsrs…
7. Roupas íntimas também precisam ser bem escolhidos para estes dias. O recomendado para ciclistas é não usar calcinha por baixo da bermuda/calça que tem aqueles forros próprios para proteger a região. Aí tem que chegar no destino do dia e lavar a bermuda. Como você estará longe de casa, lavar a bermuda toda noite pode não ser uma tarefa fácil, pra driblar isso você pode usar protetores diários ou calcinhas sem costura, daquelas cortadas a laser, que são boas opções pra reutilizar a bermuda sem lavar.
8. Levo menos uma pashmina (echarpe): aquece o pescoço e as costas se estiver frio à noite por exemplo e já dá um ar elegante pra aventureira. E ainda serve pra improvisar um pique nique num gramado no meio da viagem. 😀
9. As roupas no alforje ficam melhor acomodadas enroladinhas ao invés de dobradas.
10. Não deixe de levar: lenços umedecidos, álcool em gel, pomada Bepantol para proteger os lábios de ressecarem e alguma assadura que possa vir a ter. Falando nisso, como prevenção para assaduras que as horas diárias sobre o selim possam trazer, uso um creme chamado Fenergan, passo todos os dias antes de iniciar a pedalada e também à noite pós banho. Apesar de já ter a região bem acostumada com o uso diário da bicicleta, numa viagem assim é possível que a pele fique mais sensível e não custa prevenir. Esse creme faz com que a pele não asse pelo atrito com a bermuda e também é muito bom pra passar em picadas de mosquitos, alivia a coceira e desincha.
11. Livros — só leve se realmente estiver disposta a pagar o preço por isso, afinal um livro de 400g na bagagem em dias de maiores subidas se transforma em muito esforço a mais.
12. Roupas — investigue muito o histórico do clima da localidade por onde vai passar para não passar frio ou calor desnecessariamente; leve roupas coringa : camisetas que servem pra ir jantar e pra dormir; calças leggings que servem pra pedalar,passear e dormir; e tudo o mínimo possível, para que você esteja com uma muda e roupa no corpo e carregando o mínimo possível no alforje. Luxo: dependendo do destino, levo um vestido de material que não amasse e ocupe pouco espaço para ocasiões especiais…

Em traje de passeio numa cicloviagem pelo Uruguai em 2015.

Em traje de passeio numa cicloviagem pelo Uruguai em 2015.

13. Apesar de preferir as sapatilhas de clip pra pedalar, em viagem uso tênis, que já serve para outros momentos da viagem e economizo peso no alforge pra levar uma sapatilha e um chinelo. Além disso, os pés normalmente incham devido ao esforço contínuo e o tênis trará maior conforto. Lembrando que você está passeando e apesar de ser necessário cumprir um planejamento, performance definitivamente não é prioridade!
14. Coletor menstrual — uma dica pra vida! Depois que você se adapta, economiza muita grana com absorventes, elimina um tantão de lixo no mundo. E pra pedalar é a maior liberdade!
Quando você decide fazer uma viagem de bicicleta, você escolhe deixar de lado certos luxos para ter um outro tipo de experiência, e o saldo é recompensador, pode acreditar!
Experimente, vá fazendo testes com viagens menores e encontre a medida certa do que levar. As dificuldades existem, mas se você seguir essas dicas e se planejar, tenho certeza que sua viagem será incrível e você nem vai sentir falta daquele sapato que você adora! 😉

6 dicas para deixar a bike segura ao estacionar

O furto de bicicletas é uma triste realidade e difícil de combater. A gente sabe que todo mundo rala pra comprar qualquer bicicleta que seja, das mais simples até as mais equipadas e caras. Então o que temos que fazer é manter a nossa magrelinha o mais segura possível.

Eu confesso que não gosto de deixar a Brigitte estacionada na rua e como tenho lugar pra ela dentro do escritório não preciso me preocupar com isso enquanto estou no trabalho. Mas, quando vou em outros locais, uso uma outra bicicleta que temos aqui em casa só pra  isso: a Geni (aqui em casa todas tem nome!), uma Caloi bem simples e que chama menos atenção. Assim, fico mais tranquila enquanto faço minhas voltas, vou ao banco, feira, supermercado e etc… Mas mesmo ela sendo mais simples, temos sempre o cuidado de mantê-la segura para evitar que alguém a leve, afinal é nossa companheira em muitos trajetos.

Então, vamos dar umas dicas para deixar sua bike segura ao estacionar e livre dos mal-intencionados:

1 – Se você não for estacionar em um bicicletário, escolha um local em que ela não fique muito isolada, mas que também não atrapalhe ok? Deixar a bicicleta amarrada a uma placa bem no meio da calçada atrapalhando os pedestres não é legal!

2 – Certifique-se de que este local onde você vai amarrá-la é bem firme, preso ao chão;

3 – Se a roda dianteira da bicicleta for de engate/desengate rápido, é necessário passar o cadeado prendendo a roda e quadro no paraciclo. Assim evita de levarem a sua roda embora. Acredite, isso é bem comum de ocorrer. E nunca, nunca prenda a sua bicicleta somente pela roda!

bike estacionamento

Segundo especialistas, este é o melhor jeito de prender a bicicleta. Imagem: Kryptonite Locks

 

4 – Se o seu selim tem o mesmo sistema de engate/desengate rápido, convém tirá-lo e levar com você, ou prenda-o junto com a roda e o quadro no cadeado;

5 – Evite deixar na bicicleta: lanternas, alforjes, garrafinhas de água que também viram alvos de furtos;

6 – Escolha um cadeado que seja mais resistente, que seja difícil de ser cortado por alicates ou serras. Os mais indicados são os de cabo de aço grosso e os tipo U-lock, e se puder use os dois!

cadeado-espiral-segredo-moto-bicicleta-12x185-troca-codigo-13803-MLB141285283_669-O

Cadeado de cabo de aço grosso

u lock 2

Cadeado U-lock

 

Por fim, vale deixar aqui o recado para NUNCA comprar bicicletas, peças ou acessórios sem procedência. O que alimenta o esquema de roubos de bicicletas é a receptação e mercado negro dessas bicicletas e peças.

Então, façamos a nossa parte! 😉

 

A Bela na Bike de Fevereiro

Hoje vamos trazer mais uma Bela na Bike pra mostrar pra vocês como é possível usar a bicicleta no dia-a-dia sem deixar o estilo de lado.

A nossa Bela na Bike de fevereiro é a Viviane Lenzi da Rocha, nos conhecemos nos pedais em grupos, um encanto de pessoa e super poderosa no pedal!

O esposo dela, o Julio Fernandes é organizador do Pedal de Quinta, que todas as quintas-feiras leva uma galera para pedalar por muitos locais maravilhosos da nossa Floripa e a Viviane o acompanha logicamente, além de usar a bicicleta pra ir ao trabalho e como ela mesma menciona pra quase tudo na vida.

Qual sua idade e profissão?

42 anos – Administradora

Qual o espaço que a bicicleta ocupa no seu estilo de vida? 

Todos os espaços… Hoje é meu meio de transporte, lazer e esporte.

Conte de forma breve, como a bicicleta conquistou espaço na sua rotina?

Tudo começou com a chegada de um novo amor… O Julio (hoje meu marido) me convenceu a comprar uma bicicleta para pedalarmos juntos, ele foi atleta durante anos e já pedalava muito. Eu era bem reticente, não tinha certeza de que ia gostar. Mas a medida que comecei a pedalar a paixão tomou conta e aos poucos fui trocando os passeios de carro por longas pedaladas nos fins de semana e logo troquei o stress de dirigir em Floripa pelo prazer em me deslocar ao trabalho.

Quais foram os benefícios que o uso frequente da bicicleta trouxe para você?

Sou uma pessoa que tem uma baita TPM e a atividade física sempre ajudou no equilibrio. Como sou um pouco gulosa, o uso da bicicleta me ajuda à  manter o peso e a forma.

Você costuma se preocupar com seu visual na hora de pedalar?

Não sou uma pessoa muito preocupada com o visual, tenho uma maior preocupação com o conforto, mas claro que como sou mulher, sempre tem uma vaidade rolando. Mas no trabalho tem dias que necessito de estar mais arrumada.

Quais suas maiores dificuldades na hora de se vestir para ir de bicicleta nas atividades de rotina?

Como sou uma pessoa mais “estabanada” não faço uso de vestido na bike, mas fora isso não tenho grandes dificuldades.

Quais as maiores dificuldades que você encontra no seu dia-a-dia de ciclista?

Acho que a principal dificuldade é a falta de respeito ao ciclista. Quando as pessoas entendem que o ciclista faz parte do trânsito tudo flui tranquilamente, mesmo sem ciclovias.

Você teria algum truque/dica para ensinar a mulheres que estão começando a pedalar agora?

Acho que uma boa dica é buscar pessoas que já pedalam pra ter uma companhia inicial, sejam nos grupos de pedal, no trabalho ou pedir ajuda de um  bike anjo. Também é interessante saber qual a altura do banco (selim) deve ser adequada para cada sapato. Muitas vezes a gente adequa a altura e depois usa um sapato com plataforma ou uma rasteirinha e acaba ficando com a perna muito dobrada ou muito esticada.

Que mudanças você gostaria de ver na sua cidade para que a rotina dos ciclistas se tornasse mais tranquila e segura?

Criação de mais ciclovias e educação dos motorista no trânsito para que todos convivam em harmonia.

IMG_9565 (1)

 

E aí gente, a Viviane é ou não uma inspiração?

Viviane, muuuito obrigada por contar um pouquinho da sua história! 😉

Bicicleta na decoração – 8 idéias para você se inspirar

Quem é apaixonado por bicicletas, geralmente gosta que tudo ou quase tudo a sua volta tenha a ver com a magrela, como qualquer outra paixão que se possa ter na vida. Ciclistas gostam de roupas com estampas de bicicleta, chaveiros de bicicleta, e porque não, decoração de bicicleta?

Seja por falta de espaço ou por gostar muitoooooo da sua magrela, incluir a bicicleta na decoração da sua casa pode deixar seu canto com ainda mais personalidade. Pode ser no meio da sala, pendurada na parede, emoldurada como arte ou no canto da lavanderia.

bicicleta na decoração

Muitas vezes até já temos em casa peças de bicicletas que um dia precisaram ser substituídas e ficamos com pena de descartar… Como pena de descartar? É, aquelas que de alguma forma fizeram parte de um momento especial, uma viagem,  sabe como? Dependendo da peça, pode-se aproveitar e usar na decoração.

85a521d0bc151be9b58828c15c5dcb48

Para quem tem criatividade, essas peças podem se transformar em objetos de arte de muito bom gosto. Quem já tinha imaginado em um pendente de luz feito com as coroas da bike?

Pendente de coroas de bicicleta

Peças de bike na decoração

Com um pouco de dedicação e criatividade é possível fazer uma decoração bem descolada também com a própria bicicleta que você usa todo dia. Ao invés de guardá-la lá na garagem ou bicicletário, dá pra encaixá-la de forma muito elegante na sua sala, escritório, quarto…

Bike na decoração

Pensa que bacana, chegar em casa e deixar sua bike num suporte como esse?

bikedecor1

E esse “porta-retratos”?

bicicleta na decoração

Essa do lavabo recebi de uma amiga querida outro dia que lembrou de mim ao vê-la:

bicicleta na decoração

Aqui no escritório já reservamos lugar para as magrelas na hora da reforma, utilizamos suportes na parede e revestimos com uma tinta mais escura para não marcar onde encostam os pneus. Usar tinta acetinada também facilita na hora da limpeza.

bicicleta na decoração

E aí, gostou? Se inspirou para começar uma decoração nova na sua casa hoje mesmo?

Ou você já usa a bike como peça decorativa? Mande então uma foto pra gente postar aqui!

contatobelanabike@gmail.com

 

4 Acessórios legais para bicicleta

Conforme a bicicleta vai ganhando espaço nas ruas, fazendo parte do cotidiano das pessoas, vão surgindo acessórios legais para bicicleta, diferentes dos convencionais. As pessoas começam a querer personalizar suas bikes, colocar a suas personalidades nelas e torná-las mais divertidas.

Se você é uma dessas pessoas dá uma olhada nestes acessórios que listamos abaixo:

1- Iluminação: para evitar acidentes é essencial que você tenha seu trajeto iluminado e que seja visto. A vantagem desse modelo de lanterna é que ele pode ser facilmente fixado tanto no guidão, como no seu capacete ou no selim da bicicleta, além de ter um design bem bacana.

lanternas

Lanternas Attitude – Netshoes

2. Cestinhas: ótimas para transportar sua bolsa durante a pedalada, fáceis de instalar e ainda contribuem para embelezar sua bike.

cestos

Cestinhas Attitude – Centauro

3. Buzinas: Indispensáveis para chamar a atenção de pedestres, e outros ciclistas também, para a sua presença. Mas estas, apesar de serem modelo infantil, adicionam fofura aos seus momentos com a bike.

buzinas

Buzinas de bichinhos (essas são infantis, mas pra quem gosta de uma fofurinha ta valendo!) – Centauro

4. Capacetes: capacetes não são itens obrigatórios por lei, mas além de lhe dar segurança, estes também são garantia de estilo.

capacetes

Capacetes Nutcase (Americanas) e Prowell (Centauro)

Como alguns desses são itens de segurança considerados obrigatórios, então porque não andar dentro da linha e cheia de estilo?

😉

 

seal