Viajar de bicicleta: 14 dicas para mulheres

Depois que comecei a viajar de bicicleta, muita gente me pergunta: mas como faz com a bagagem? O que você leva? Era também minha dúvida antes da primeira aventura, tive que aprender a lidar com isso e não foi de primeira que acertei. Antes de tudo, tive que me conhecer melhor e identificar o que era realmente necessário pra mim numa viagem.
Eu sempre viajei com a bagagem bem recheada, sempre usei todo o limite de peso das companhias aéreas, e nas viagens de carro então, o porta-malas era o limite! E se eu quiser usar aquela blusa? E se eu quiser sair pra dar uma caminhada? E se, e se, e se… Mas agora não tinha espaço pra essa vontade de querer ter tudo na mão em viagem…
Ok, eu sabia que numa viagem de bicicleta precisaria aprender a ser mais econômica e nas primeiras vezes eu errei, pra mais e pra menos! Fui aprendendo, até que nas últimas viagens tudo o que levei foi usado e não senti falta de nada. Hoje, tal experiência me faz praticar esse minimalismo mesmo em viagens sem bicicleta.

Cicloviagem no Caminho de Santiago de Compostela em 2015.

Cicloviagem no Caminho de Santiago de Compostela em 2015.

Vou contar aqui, algumas dicas do que eu faço para otimizar os espaços, diminuir peso e sem dispensar de algumas frescuras de menina que não consigo desapegar:
1. Unhas — não adianta querer sair pra uma viagem dessas de esmalte vermelho porque não vai durar muito e você terá que levar removedor para esse momento. Por isso prefiro ir com as unhas devidamente feitas apenas com base, curtinhas e levar apenas uma mini-lixa.
2. Cabelos — uma boa hidratação antes de viajar (eu costumo fazer uma cauterização de fios) vai ajudar a domá-los e deixar em casa o secador. Confesso que já fui “a louca da chapinha” e o uso da bicicleta no dia-a-dia me ajudou a aceitar melhor o meu cabelo e deixá-lo mais natural. Foi difícil a adaptação, mas hoje sou outra pessoa, muito mais livre! 😉
Leve grampos, prendedores e lenços, vão ajudar a dar um jeito nas madeixas depois que você tira o capacete, ou quando for jantar à noite em um restaurante por exemplo. Leve uma escova e caso você se hospede em hotel, pode usar o secador que eles fornecem, que normalmente são fraquiiiinhos, mas melhor que nada. Mesmo sendo uma viagem de aventura, você não precisa e não quer estar descabelada o tempo todo!
3. Shampoo e condicionador são mais fáceis de serem carregados em embalagens tipo bisnaga. Existem marcas que já são neste tipo de embalagem, mas confesso que acho grandes e pesadas pra viagens curtas. Então nas viagens que fiz até agora, reutilizei bisnagas pequenas que eu já guardo para este fim, uso embalagens de “amenities” de hotel, lavei bem e coloquei os meus produtos nas bisnagas. Fiz isso também com hidratante pro corpo e economizei um peso considerável.
OBS: isso só atende viagens de curta duração, para viagens com mais de 10 dias essa mini-bisnaga não dá conta, precisa levar quantidade maior mesmo, ou comprar mais durante a viagem.
4. Desodorante roll-on economiza espaço também.
5. Se você usa um sabonete especial para o rosto, leve apenas ele para não precisar levar dois sabonetes ou opte pelo shampoo infantil para os cabelos que tem PH neutro e pode ser usado também como seu sabonete.
6. Maquiagem: sim eu levo, mas bem básica. Um filtro solar com cor, corretivo, rímel, blush e uma sombra neutra. Não, eu não uso isso tudo pra pedalar! Mas nos locais onde nos hospedamos saímos pra jantar, visitar locais e passear. E então gosto de caprichar mais, rsrsrs…
7. Roupas íntimas também precisam ser bem escolhidos para estes dias. O recomendado para ciclistas é não usar calcinha por baixo da bermuda/calça que tem aqueles forros próprios para proteger a região. Aí tem que chegar no destino do dia e lavar a bermuda. Como você estará longe de casa, lavar a bermuda toda noite pode não ser uma tarefa fácil, pra driblar isso você pode usar protetores diários ou calcinhas sem costura, daquelas cortadas a laser, que são boas opções pra reutilizar a bermuda sem lavar.
8. Levo menos uma pashmina (echarpe): aquece o pescoço e as costas se estiver frio à noite por exemplo e já dá um ar elegante pra aventureira. E ainda serve pra improvisar um pique nique num gramado no meio da viagem. 😀
9. As roupas no alforje ficam melhor acomodadas enroladinhas ao invés de dobradas.
10. Não deixe de levar: lenços umedecidos, álcool em gel, pomada Bepantol para proteger os lábios de ressecarem e alguma assadura que possa vir a ter. Falando nisso, como prevenção para assaduras que as horas diárias sobre o selim possam trazer, uso um creme chamado Fenergan, passo todos os dias antes de iniciar a pedalada e também à noite pós banho. Apesar de já ter a região bem acostumada com o uso diário da bicicleta, numa viagem assim é possível que a pele fique mais sensível e não custa prevenir. Esse creme faz com que a pele não asse pelo atrito com a bermuda e também é muito bom pra passar em picadas de mosquitos, alivia a coceira e desincha.
11. Livros — só leve se realmente estiver disposta a pagar o preço por isso, afinal um livro de 400g na bagagem em dias de maiores subidas se transforma em muito esforço a mais.
12. Roupas — investigue muito o histórico do clima da localidade por onde vai passar para não passar frio ou calor desnecessariamente; leve roupas coringa : camisetas que servem pra ir jantar e pra dormir; calças leggings que servem pra pedalar,passear e dormir; e tudo o mínimo possível, para que você esteja com uma muda e roupa no corpo e carregando o mínimo possível no alforje. Luxo: dependendo do destino, levo um vestido de material que não amasse e ocupe pouco espaço para ocasiões especiais…

Em traje de passeio numa cicloviagem pelo Uruguai em 2015.

Em traje de passeio numa cicloviagem pelo Uruguai em 2015.

13. Apesar de preferir as sapatilhas de clip pra pedalar, em viagem uso tênis, que já serve para outros momentos da viagem e economizo peso no alforge pra levar uma sapatilha e um chinelo. Além disso, os pés normalmente incham devido ao esforço contínuo e o tênis trará maior conforto. Lembrando que você está passeando e apesar de ser necessário cumprir um planejamento, performance definitivamente não é prioridade!
14. Coletor menstrual — uma dica pra vida! Depois que você se adapta, economiza muita grana com absorventes, elimina um tantão de lixo no mundo. E pra pedalar é a maior liberdade!
Quando você decide fazer uma viagem de bicicleta, você escolhe deixar de lado certos luxos para ter um outro tipo de experiência, e o saldo é recompensador, pode acreditar!
Experimente, vá fazendo testes com viagens menores e encontre a medida certa do que levar. As dificuldades existem, mas se você seguir essas dicas e se planejar, tenho certeza que sua viagem será incrível e você nem vai sentir falta daquele sapato que você adora! 😉

One thought on “Viajar de bicicleta: 14 dicas para mulheres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *