Cicloturismo – Circuito do Vale Europeu em SC – Dia três

Eis que chega o relato sobre o último dia de viagem do casal pelo Vale Europeu com dicas para quem se empolgou e quer se aventurar no cicloturismo ou até mesmo enfrentar esse mesmo percurso.

Terceiro dia: Palmeiras – Timbó / Timbó – Rodeio

IMG_2647

Café da manhã tomado, câmara remendada e começamos nosso último dia de pedal. Aqui tínhamos mais subidas logo pela manhã, mas a paisagem nos deixava encantados, paredões de pedra ao fundo da barragem, muitas flores, o canto dos pássaros…

IMG_2663

IMG_2671

Fomos seguindo em nosso ritmo, até que chegamos numa descida de 2,5km muito íngreme e ao final dela um lindo rio, e uma ponte coberta, com mesas e uma churrasqueira. Bacana! Ali paramos para o nosso almoço-lanche.

IMG_2693

Continuamos nossa rota, o dia ficou nublado, porém ainda quente. Passamos por charmosas casas enxaimel, gente na janela que acenava e percebemos que a cidade começava a se aproximar.

IMG_2703

Chegando no centro de Timbó paramos para ver o mapa e ver como chegar ao Tapyoka, fomos alcançados por dois ciclistas locais que estavam fazendo seu pedal matinal, perguntaram se queríamos ajuda. Como estavam indo para o mesmo local, nos guiaram até lá e foi então que chegamos e brindamos com um delicioso chope artesanal a nossa chegada!!

IMG_2706

IMG_2709

Almoçamos lá mesmo (uma massa deliciosa!) e logo depois chegou o Maurício, ciclista que tínhamos conhecido no jantar em Doutro Pedrinho. Ele disse que depois de nos ouvir falar que faríamos dois trechos do Circuito no mesmo dia resolveu fazer o mesmo e antecipar em um dia seu retorno a SP.

IMG_2712

Ainda tínhamos mais 18km até a cidade de Rodeio onde tínhamos deixado nosso carro na primeira pousada, subimos nas magrelas novamente e aceleramos o pedal, pois um temporal se anunciava…

IMG_2713

Chegamos na pousada a tempo, ainda tomamos um refrescante banho e depois seguimos felizes no ar-condicionado até Florianópolis. 😉

Considerações finais:

– Evite ir no alto verão (entre dezembro e fevereiro), mesmo com todo o preparo e planejamento que tínhamos foi muito mais difícil do que se fôssemos em outra data. Evite também a época das festas de outubro, quando as rodovias ficam cheias de turistas, principalmente na parte baixa do circuito.

– faça um bom planejamento de água e alimentação pois são poucos os pontos de reabastecimento no meio dos trajetos.

– Especialmente na parte alta, as montanhas são longas e duras, faça treinos de subida, de preferência usando os alforges, para que as pernas aguentem sem reclamar. Fizemos o dever de casa e sabemos que foi muito útil.

– Se não for com carro de apoio, leve somente o necessário de bagagem (considerando sempre o clima daquela região no período escolhido), o necessário mesmo! Quase levei um livro pra ler e se o tivesse levado acho que deixaria de doação para o primeiro que encontrasse no meio das montanhas!

Resumo:

Resumo

 

Gastar mais de 14.000 calorias em uma viagem não é nada mal hein? rs

Galera, quem quiser entrar em contato com o casal para saber mais pode nos escrever por email, eles estão sempre dispostos a ajudar ou apenas conversar sobre bicicletas e afins. 😉

 

Post publicado originalmente em bikea2.wordpress.com

 

2 thoughts on “Cicloturismo – Circuito do Vale Europeu em SC – Dia três

  1. Muito bom. Gostei das dicas, estou lendo relatos pois pretendo fazer em breve (talvez no feriado) e terei uns 4 dias para isso. Algumas dúvidas posso?

    É necessário mesmo reservar pousadas? Penso em sair sem paradas definidas.
    Há opções de compras para alimentação pelo caminho? Não levo alforges.
    Geralmente levo duas câmaras de ar, se precisar de mais, consigo comprar pelo caminho?

    Obrigado e parabéns pela trip.

    Sávio

    • Olá Savio! Bem vindo por aqui!

      Penso que a reserva é interessante fazer, ao menos 1 dia antes para evitar de ficar sem pouso. Principalmente nessa parte do circuito, que é a parte alta e em um feriado. Na parte baixa do ciruito não sei lhe informar porque não a percorremos. Na parte alta há poucas opções de pouso, trechos bem longos sem nenhum comércio, restaurante, pousada ou mesmo residências. Nessa parte do circuito há poucas opções de lanchonete ou restaurante, levávamos sempre sanduiches e frutas na bolsa (já os preparávamos no café da manhã de onde pousamos) e consideramos essenciais para manter-nos com energia para concluir o percurso. Sabemos que cada um tem seu estilo de pedal, pra nós foi excelente não nos preocuparmos com isso, paramos a hora que deu fome e comemos. Mas volto a frisar que não vi lanchonetes no meio dos percursos. Sobre câmaras de pneus, leve as duas câmaras e kit-remendos, tivemos 2 pneus furados, trocamos a câmara e remendamos à noite onde pousamos. Não vi nenhuma oficina nos lugares que passamos, numa das cidades em que tivemos um pequeno acidente e não havíamos levado kit de primeiros socorros, nem farmácia encontramos. É bom ir preparado pra não passar aperto…

      Qaulquer outra dúvida, pode mandar Savio.

      Espero ter ajudado e desejo uma ótima cicloviagem!! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *