Como ter a sua bike retrô ou reformar uma bike antiga

Sempre me perguntam onde comprei a Brigitte, como fiz pra reformá-la e por aí vai. Mesmo na rua, basta deixá-la estacionada em algum lugar por 5 minutos e já se aproxima alguém pra espiar e perguntar de quando ela é, se reformei, etc. A Brigitte foi comprada pelo Mercado Livre, bem destruída, mas com grande potencial como dá pra perceber.
Confesso que sou apaixonada por essa bicicleta, e morro de orgulho de pedalar com ela por aí, mas vamos ao que interessa. Vou contar o passo-a-passo que fizemos pra reformar esta bicicleta antiga. e pra quem não curte ou não tem paciência para percorrer todo esse processo de reforma ou restauração, no final do artigo daremos dicas de bikes novas com essa pegada retrô.

Passo-a-passo da restauração:

1. Primeira coisa: você precisa de uma bicicletaria de confiança, que tenha um mecânico que saiba mexer nessas bicicletas antigas, pois lá você irá mandar desmontá-la e após todo o processo terminado, vai levar pra ser remontada. O mecânico PRECISA conhecer desses modelos, que apesar de serem mais simples, muitas possuem algumas características peculiares. A bicicletaria que fez esse processo na Brigitte, infelizmente não existe mais, mas certamente não será difícil encontrar uma perto de você.
Esta é Brigitte antes da reforma:

Bike retrô

Brigitte quando comprada, antes da restauração.

2.  Depois da bicicleta desmontada, é hora de separar as peças que receberão jato de areia e serão pintadas.
A pintura do quadro, pára-lamas, protetor de corrente e bagageiro foram feitas com pintura eletrostática e eu escolhi dentre as cores disponíveis na hora. As peças cromadas foram levadas num outro local, especializado em cromagem. Dica: anote todas as peças que você está levando e para onde, para saber o que terá que trazer de volta.

3. Algumas peças não poderão ser reutilizadas, então você terá que garimpar e comprar novas peças para substituição. Muitas delas, encontramos pela internet, onde algumas eram peças novas de estoques antigos.
Garimpamos acessórios também: selim, manetes, campainha e ainda os adesivos para deixá-la o mais próximo possível da original. E ainda ganhamos de um amigo o bagageiro (tão útil para acomodar os alforjes no dia-a-dia), obrigada Roberto!

4. Depois de tudo pronto, juntamos novamente as peças e levamos até a bicicletaria de volta para a montagem final! 😀

bike retrô

Brigitte linda, fazendo pose.

É trabalhoso, mas vale muito a pena, afinal fica como você quer e  idealizou. Quem fez todo esse processo pra mim foi meu amado esposo Ari, e isso ainda me dá mais apego a essa bicicleta.
Mas se você achou muuuito trabalho, calma! É possível ter uma bike retrô sem passar por tudo isso! Existe hoje no mercado vários modelos com esse estilo, confiram abaixo.

  • Soul Copenhague Retrô: Possui para-lamas, bagageiro (garupa que dá pra prender alforjes), 21 velocidades e suspensão dianteira que dá mais conforto. Ótima bicicleta para o dia-a-dia, pra quem vai trabalhar com ela e com uma pegada retrô no design. Veja mais aqui.

    Bike retrô

    Soul Copenhague Retrô

  • Soul Flow One 26: Possui 21 velocidades, mas não tem para-lamas (importantíssimo no dia-a-dia para situações de chuva). Apesar disso,vejo como uma ótima bicicleta, confortável para o uso no dia-a-dia. Veja mais aqui.
Bike retrô

Soul Flow One 26

  • Bottechia Dolce Vitta – Lady: Essa é irmã gêmea da minha Brigitte! Foi uma grata surpresa descobrir uma bicicleta tão parecida com a minha! Existe a versão feminina e masculina dela. Possui somente uma velocidade, mas tem para-lamas, bagageiro e faróis. Além de ser linda, me parece super confortável.
Bikes retrôs

Bottechia Dolce Vitta

  • Olé Bikes Personalizadas: O bacana dessa bicicleta é que você personaliza as cores! E pode incluir para-lamas e cestinha. (pelo que vi, só possuem uma velocidade – se não for pegar subidas nos seus percursos, ok.). veja mais aqui.
bike retrô

Olé Bikes Personalizadas

  • Mobele Oma Classic: Possui pára-lamas, 7 velocidades, protetor de saias. Lindona pra uso no dia-a-dia e divar num passeio no parque. Veja mais aqui.
bike retrô

Mobele Oma Classic

  • Novello Style aro 26: Não tem marchas, não tem furação para bagageiro para colocar garupa. Possui apenas uma velocidade. Um charme só, mas pra ir trabalhar todos os dias ela pode não ser o modelo ideal. Veja mais aqui.
bike retrô

Novello Style aro 26

Viu?! Se você quer uma bike retrô para ontem, não precisa de muito trabalho não, basta pesquisar e escolher a que mais combina com você e atende as suas necessidades diárias. Gostaram? Qual delas é seu estilo?

😉

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *