Pedalar faz bem para a saúde… e como faz!

Todos nós sabemos que atividade física é importante para a saúde, não só para manter a forma física como também para prevenir doenças. Mas nem todo mundo gosta de fazer academia e as vezes um exercício feito ao ar livre dá mais prazer e é mais estimulante. A bicicleta entra como uma boa alternativa neste caso, pedalar faz bem para a saúde.

O ciclismo praticado como esporte traz benefícios físicos visíveis e também emocionais, o que contribui e muito para a qualidade de vida. Por ser uma atividade aeróbica, pedalar ajuda na perda de peso, melhora a frequência cardíaca, acelera o metabolismo, diminui o stress, auxilia na redução do colesterol, previne a obesidade e também a hipertensão.

Durante o pedal grandes grupos musculares são recrutados… coxas, panturrilhas e abdominal agradecem! O ciclismo tem a grande vantagem de ser uma atividade de baixo impacto, articulações, músculos e tendões não sofrem durante o exercício, o que faz com que ele possa ser praticado por quase todos. Porém, consultar um especialista antes de iniciar uma atividade física é muito importante.

No início de 2013, depois de 2 anos parada, eu voltei a fazer atividade física e mudei meus hábitos alimentares, o que me fez emagrecer e não engordar mais. Hoje faço treinamento funcional cinco vezes por semana, as vezes faço corrida (de leve) e agora estou incluindo a bicicleta na minha rotina de treinos para acelerar meu metabolismo e assim queimar mais gordura, e também melhorar meu condicionamento físico.

DSC03578

Ponto de partida: Beira mar norte

DSC03573

DSC03593

Paradinha no bairro João Paulo, descanso de dois minutos antes da volta.

Foram quase 15 km dessa vez, não foi muito, mas as pernas chegaram bambas e a sensação depois é muito boa… eu quero mais!

Como vocês já sabem, a Aline usa a bike como esporte há mais tempo, inclusive para viajar. Em breve traremos relatos dessas viagens. 😉

Beijinhos… Michelle.

 

 

Começando pela ciclovia

Oi meninas! Hoje,  vim contar sobre o meu primeiro “pedal chic”  junto com a mana. Não que eu nunca tenha pedalado na vida. Mas quando eu andava de bicicleta, há 15 anos atrás, as coisas eram diferente. Eu morava em um bairro pequeno, onde a pracinha era ponto de encontro da meninada, não haviam muitos carros circulando pelas ruas, enfim, bem diferente dos dias atuais.

Escolhemos a beira-mar norte como local, ideal para sentir a vibe de andar de bicicleta no centro da cidade. Apesar de ser ciclovia, para chegar até ela é preciso pedalar por locais onde não há ciclovias e atravessar alguns semáforos.

É importante saber que existem algumas regrinhas básicas para pedalar, e as regras aprendidas no dia foram:

  • Lugar de bicicleta é nas ciclovias/ciclofaixas e na falta delas, na rua e não em cima de calçada, quando precisar transitar em uma, desça da bicicleta e empurre ela enquanto estiver sobre a calçada;
  • Sempre andar pelo lado direito da faixa;
  • Parar no locais indicados quando houver pedestres atravessando a ciclovia;
  • Usar a buzina para alertar pedestres desavisados que você está passando.

Regras ok, agora é hora de pedalar! Ah, antes deixa só eu falar das roupas que escolhi:

Para o primeiro pedal, nada de salto alto… o ideal para pedalar é usar um calçado que seja preso no calcanhar para não sair do pé, então optei por um tênis desses de couro para me sentir mais segura. Até porque a bicicleta não é minha e eu ainda não tinha subido nela.

E para vestir, nessa época do ano é indicado o uso de roupas leves, então escolhi uma camisa de viscose e um short de sarja, ambos os tecidos tem algodão na composição que favorecem a transpiração.

O passeio foi uma delícia, com direito a parada para um cafézinho antes de voltar para casa, adorei! Conforme for me aventurando mais vou contando aqui pra vocês no Diário de uma iniciante.

cycle chic

cycle chic 2

cycle chic 3

As bicicletas das fotos são do casal Aline e Ari, elas são lindas e tem até nome, se chamam Brigitte (bege) e Henriqueta (preta). As duas são bem antigas, o casal acredita que a Brigitte seja da década de 30 e a Henriqueta da década de 50. Mas parece que saíram da loja hoje! Foram restauradas e hoje chamam atenção por onde passam como se fosse duas garotinhas de 20 anos. 😉

E o seu estilo de bike, qual é?

Beijos, Michelle.